Governo Começa a pagar auxílio de R$600 para inscritos no APP da Caixa

O governo começa a pagar nesta sexta-feira (17) a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 para quem se inscreveu por meio do aplicativo da Caixa ou pelo site. Ao todo, segundo o governo, mais de 9 milhões de pessoas que se inscreveram por esses meios estão aptas a receber —o que deve acontecer entre hoje e a próxima segunda-feira (20). Os depósitos serão feitos nas poupanças digitais da Caixa abertas automaticamente na hora da inscrição, ou em uma conta que já existia, indicada pelo beneficiário.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, o pagamento começará pelos que têm poupança no banco. Na sequência, recebem os com conta em outros bancos, e na segunda-feira (20), quem tem a poupança digital Caixa

  • Sexta-feira (17), a partir das 15h: crédito para 3.438.238 pessoas com poupança na Caixa
  • Sábado (18): crédito para 1.420.466 pessoas com contas em outros bancos
  • Segunda-feira (20): crédito para 4.230.900 pessoas na Poupança Digital Caixa.

A inscrição por meio do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (para sistema Android e iOS), ou pelo site da Caixa, começou na semana passada e ainda está disponível para quem se enquadra nos critérios para receber o benefício.

Pelo calendário divulgado inicialmente pela Caixa no início desta semana, o pagamento para quem se inscreveu no site ou app começaria na quinta-feira (16), mas isso foi adiado em um dia, porque as informações sobre os inscritos que estão aptos a receber foram enviadas pela Dataprev ao banco na quarta-feira (15), e são necessárias 48 horas para o início do processamento dos pagamentos.

A inscrição por meio dessas plataformas só é necessária para quem não estava no Cadastro Único até 20 de março, nem recebe o Bolsa Família.

Pagamento para quem tem Bolsa Família, último dígito 2

Nesta sexta-feira também será pago o valor para beneficiários do Bolsa Família com último dígito do NIS igual a 2, que deve totalizar mais 1,36 milhão de pessoas. Os benefícios não vão ser acumulados. A pessoa receberá o que for de maior valor entre o Bolsa Família e o auxílio emergencial.

Para quem está no Bolsa Família, o auxílio emergencial vai seguir o calendário do programa. O pagamento começou na quinta-feira (17), pelos que têm último dígito do NIS igual a 1.

Pagamento para inscritos no Cadastro Único.

Além dos inscritos pelo site ou aplicativo e dos beneficiários do Bolsa Família, está programada para hoje mais uma leva de pagamentos para outro público: pessoas que estavam inscritas no Cadastro Único até 20 de março, mas não recebem o Bolsa Família.

Desse grupo, os que recebem hoje são os nascidos em setembro, outubro, novembro ou dezembro, que devem totalizar 1,96 milhão de pessoas.

O pagamento para quem estava no Cadastro Único começou na terça-feira (14) pelos que nasceram em janeiro. Na quarta-feira receberam os que nasceram em fevereiro, março ou abril, e na quinta-feira, os de maio, junho, julho ou agosto.

Demais parcelas serão pagas conforme aniversário.

As duas parcelas seguintes do auxílio serão depositadas conforme o mês de nascimento do beneficiário (veja na tabela mais abaixo). A exceção são os que já recebem Bolsa Família. Como mencionado, o pagamento deles segue um calendário conforme o último dígito de seu benefício (veja quadro mais abaixo).

O dinheiro será depositado na conta dos trabalhadores. Vale lembrar que não é necessário haver corrida e aglomeração de pessoas nas agências e nas lotéricas. Todos os beneficiários vão receber seus recursos “de forma segura, organizada e transparente”, promete a Caixa.

Confira as datas de pagamento divulgadas pelo governo e pela Caixa:

Datas de pagamento do auxílio de R$ 600

1ª parcela
2ª parcela
3ª parcela
Beneficiários do Bolsa Família

Quem tem direito?

É necessário ter mais de 18 anos. Poderão receber o auxílio emergencial:

  • empregado que não têm carteira assinada
  • autônomo
  • desempregado
  • MEI (microempreendedor individual)
  • contribuintes individual da Previdência.

Além de se enquadrar em um desses casos, a pessoa deve estar dentro dos limites de renda estabelecidos na lei. Pode receber quem:

  • tem família com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135) ou com renda per capita (por membro da família) de até meio salário mínimo (R$ 522,50).
  • teve rendimentos tributáveis de até R$ 28.559,70 em 2018 (conforme declaração do Imposto de Renda feita em 2019).

Para verificar os critérios de renda, o governo vai cruzar informações dos bancos de dados que tem, como o CadÚnico e a declaração do Imposto de Renda.

ATENÇÃO: Não pode receber o auxílio quem já recebe seguro-desemprego, BPC, aposentadoria ou pensão.

Celso Oliveira

Sou um renomado escritor e jornalista especializado em vagas de emprego, minha paixão é conectar profissionais talentosos com oportunidades de carreira promissoras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0